25 de Fevereiro de 2018 | SOBRE ESTE BLOG
Quinta-Feira, 23 de Julho de 2015, 15h:57
Tamanho do texto A- A+

Cidades / MUTIRÃO FISCAL

Negociação com o Estado prossegue com vantagens até dia 31

Débitos poderão ser negociados até o fim do mês
DA REDAÇÃO

Contribuintes que possuem débitos com a Secretaria de Fazenda de Mato Grosso (Sefaz-MT) e/ou com a Procuradoria Geral do Estado (PGE) podem aproveitar os benefícios da Lei nº 365/2015, sancionada pelo governador Pedro Taques, e negociar suas dívidas aproveitando os mesmos descontos proporcionados pelo Mutirão Fiscal até o último dia do mês. No entanto, somente a Prefeitura de Cuiabá continuará atendendo na Arena Pantanal até 31 de julho.

Para negociar dívidas com a PGE, o contribuinte deverá procurar pessoalmente a Sub-Procuradoria Fiscal, que funciona no Complexo IIIA da Sefaz, em Cuiabá, das 12h às 18h. Já em relação aos débitos com a Sefaz, o contribuinte tem duas opções: atendimento presencial nas Agências Fazendárias, da capital e do interior, ou pela internet. (veja abaixo o passo a passo).

Além dos descontos nos juros e multas, outro benefício importante da lei sancionada pelo governador foi a inclusão de possibilidade de negociação das dívidas geradas até 31 de dezembro de 2014. Até então, só poderiam aderir ao Refaz (Recuperação de Crédito da Fazenda) contribuintes com dívidas geradas até 31 de dezembro de 2013.

De acordo com os termos do Refaz, dívidas fiscais relativas a qualquer tributo estadual poderão ser pagas à vista com redução de 100% nos juros e multas e, de até 90%, nas dívidas por descumprimento de obrigações acessórias. Além disso, os contribuintes poderão obter 90% de desconto nos juros e multas ao optar pelo parcelamento em 36 vezes; 80% em 48 vezes; 70% em 60 vezes; e 60% em 80 vezes.

Antes da lei, o Governo do Estado já havia adotado medidas para ampliar as margens de negociação durante o mutirão, com a publicação do Decreto nº 139. Um dos benefícios foi a redução no valor mínimo das parcelas referentes às dívidas com Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação de quaisquer Bens ou Direitos (ITCD) e Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Para se ter uma ideia, o valor mínimo de cada parcela para débitos pertinentes ao IPVA diminuiu para duas Unidades Padrão Fiscal (UPF). Ou seja, levando-se em consideração que o valor da UPF de julho é de R$ 113,53, a parcela mínima da renegociação poderá ser de R$ 227,06. No caso do ITCD, o valor poderá ser de, no mínimo, R$ 567,65. Já para débitos relativos ao ICMS, a menor parcela poderá ser de R$ 1.135,30.

De acordo com o Decreto nº 139/2015, até 24 de julho, o valor mínimo de cada parcela poderá ser reduzido em alguns casos, limites e condições, como por exemplo, quando o débito for devido por contribuinte optante pelo Simples Nacional. “Observado o sublimite de receita bruta estabelecido pelo Estado para fins de opção e enquadramento no referido regime, o valor mínimo de cada parcela poderá ser reduzido ao montante equivalente a cinco UPF, desde que respeitado o limite máximo de 80 parcelas mensais”, diz o documento.

Quando o débito for devido por contribuinte enquadrado como Microempreendedor Individual – MEI, o valor mínimo de cada parcela poderá ser reduzido ao montante equivalente a 1,50 (um inteiro e cinquenta centésimos) do valor da UPF, desde que respeitado o limite máximo de 80 parcelas mensais.

(0) Comentário(s)

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

enviar comentário
Confira Também

caldeirão político

Morre cinegrafista da velha guarda da imprensa local

Prefeita de Sinop se afastará do cargo em março

Arthur Virgílio desiste das prévias e critica Alckmin

Toffoli entrega voto do "foro privilegiado" no próximo mês

VEJA MAIS

Vídeo comentário

Carlos Fávaro é uma confusão política ambulante

VEJA MAIS

ARTIGOS

Hospital Julio Müller

Por: ALFREDO MENEZES

Mudanças sim! Conformismo não!

Por: JUNIOR MACAGNAM

Truco

Por: EDUARDO PÓVOAS
VEJA MAIS

mais lidas

  1. Ladrões levam celulares e alianças de jogadores na Arena Pantanal
  2. Silval revela que 7 deputados fizeram extorsão por acordo na AL
  3. Concessionárias elevam preços, mesmo sem cumprir contratos
  4. Blairo Maggi anuncia nesta segunda-feira se vai ou não disputar eleições
  5. Ex-governador vira conselheiro e afirma: não compensa errar

ENQUETE

Se as eleições fossem hoje e Pedro Taques fosse candidato à reeleição, você votaria nele?
PARCIAL