24 de Novembro DE 2017 | SOBRE ESTE BLOG
Sexta-Feira, 15 de Janeiro de 2016, 05h:10
Tamanho do texto A- A+

Economia / Agronegócio

Governo federal conta com BB e LCA para ampliar crédito rural

Para a safra atual, o governo Dilma contava com R$ 30 bilhões por meio desse instrumento, mas a captação está em R$ 1,1 bilhão até o momento

FOLHAPRESS

Entre as medidas para ampliar a oferta de crédito subsidiado, mas sem custo adicional para o governo, está a liberação de dinheiro da poupança rural do Banco do Brasil (BB) que está hoje depositado no Banco Central.

Ao mesmo tempo, estão em estudo incentivos para emissão de LCAs (Letras de Crédito do Agronegócio), que gerariam mais recursos a taxas de mercado.

Em relação ao BB, o primeiro passo foi dado em 31 de dezembro pelo CMN (Conselho Monetário Nacional), que alterou o cálculo do direcionamento da poupança rural, liberando R$ 12 bilhões em recursos que o banco poderá aplicar livremente.

A estimativa é que a instituição obtenha um ganho de R$ 815 milhões com a aplicação desse dinheiro, valor que servirá para subsidiar mais operações de crédito rural.

Os bancos são obrigados a emprestar 74% dos recursos da poupança rural. O valor não desembolsado fica retido no BC. Para cumprir o direcionamento, o BB necessita de subsídios do Tesouro para reduzir as taxas de juros ao tomador. Caso contrário, não há demanda. Em 2015, por falta de recursos para subsídio, o banco não conseguiu cumprir completamente a exigência.

O banco não informa qual o valor que poderia ser financiado a partir desses recursos extras. Na semana passada, a ministra Kátia Abreu (Agricultura) afirmou que o BB havia garantido R$ 10 bilhões para a linha pré-custeio, com recursos da poupança rural e dos depósitos à vista.

O anúncio do valor está previsto para a próxima semana, mas pode ser adiado para o fim do mês e ser apresentado junto com outras medidas para facilitar o crédito.

LCA

O Ministério da Agricultura informou nesta quinta-feira (14) que estão em estudo medidas para aumentar o crédito rural com recursos a taxas de mercado por meio de mudanças nas regras das LCAs.

A ideia é criar incentivos para aumentar as emissões, o que esbarra na limitação de recursos orçamentários.

Para a safra atual, o governo contava com R$ 30 bilhões por meio desse instrumento, mas a captação está em R$ 1,1 bilhão até o momento.

Segundo o ministério, a contratação de crédito para a safra atual (2015/2016) passou de R$ 76,3 bilhões para R$ 76,5 bilhões, na comparação entre o segundo semestre de 2014 e de 2015. O valor inclui custeio, comercialização e investimento e representa cerca de 40% do disponibilizado pelo governo federal.

(0) Comentário(s)

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

enviar comentário
Confira Também

caldeirão político

Justiça Federal absolve ex-presidente do Intermat

Governo desiste de mudar nomes de duas escolas no interior

Baiano propõe prioridade à saúde e deixe de pagar emendas

Unemat volta a fechar contrato com a Faespe

VEJA MAIS

Vídeo comentário

Pedro Taques conseguiu algo espetacular para Mato Grosso

VEJA MAIS

ARTIGOS

Existe sempre uma fila

Por: RENATO NERY

Vencedores do preconceito

Por: GRACI MIRANDA

Falta pão, falta união

Por: ONOFRE RIBEIRO
VEJA MAIS

mais lidas

  1. Jayme diz que escolha de Fábio Garcia para presidir DEM terá de ter consenso
  2. Juíza dá 72 horas para Estado se manifestar sobre cobrança de juros
  3. TV francesa aponta Maggi como político bilionário com reputação controversa
  4. Aprovação a Luciano Huck dispara e atinge 60%, mostra pesquisa
  5. AL promulga emenda constitucional que limita gastos públicos

ENQUETE

Se as eleições fossem hoje e Pedro Taques fosse candidato à reeleição, você votaria nele?
PARCIAL