25 de Fevereiro de 2018 | SOBRE ESTE BLOG
Terça-Feira, 14 de Novembro de 2017, 08h:46
Tamanho do texto A- A+

Esportes / TÊNIS

Com dores no joelho, Nadal luta, mas perde de Goffin no ATP Finals

Espanhol foi superado por 2 sets a 1, com parciais de 7/6 (7/5), 6/7 (4/7) e 6/4
DO ESTADÃO CONTEÚDO

 

Com dores no joelho direito que o tiraram do Masters 1000 de Paris na semana retrasada e agora o atrapalharam em Londres, Rafael Nadal foi derrotado nesta segunda-feira à noite em sua estreia no ATP Finals. O líder do ranking mundial lutou muito e chegou a salvar quatro match points, mas caiu diante do belga David Goffin, que pela primeira vez superou o adversário ao batê-lo por 2 sets a 1, com parciais de 7/6 (7/5), 6/7 (4/7) e 6/4, após duas horas e 37 minutos de confronto na competição que reúne os oito melhores tenistas da temporada.

 

Um dia depois de ter recebido da ATP o troféu de número 1 do mundo na O2 Arena, pois não corre o risco de perder este posto até o final deste ano, Nadal assim começou com derrota a sua busca para conquistar o único grande título que lhe falta entre os principais torneios do circuito profissional.

 

A partida fechou a primeira rodada do Grupo Pete Sampras, que horas mais cedo contou com o búlgaro Grigor Dimitrov vencendo o austríaco Dominic Thiem, também por 2 sets a 1, na abertura desta chave. Desta forma, Dimitrov e Goffin largaram na frente na luta por uma vaga nas semifinais, fase para a qual apenas os dois primeiros colocados de cada grupo avançarão.

 

Essa foi a terceira vez que Goffin, hoje o oitavo colocado do ranking mundial, enfrentou Nadal, que havia levado a melhor nos dois confrontos anteriores entre os dois, ambos também em 2017, nos Masters 1000 de Montecarlo e Madri, em piso de saibro.

 

Na quadra dura de Londres, porém, o espanhol não conseguiu impor o habitual domínio que costuma exercer sobre os adversários na terra batida. Instável desde o início, o número 1 do mundo já teve o seu saque quebrado por duas vezes já no primeiro set, mas também converteu dois break points e levou a disputa ao tie-break, no qual o belga foi um pouco melhor e fechou em 7/5.

 

O drama de Nadal continuou no segundo set, no qual salvou o primeiro match point antes de empatar o jogo em 5/5. Pouco depois, quando sacava em desvantagem de 6/5, Goffin chegou a abrir 40/0, mas o espanhol se salvou em outras três bolas do jogo e forçou novo tie-break, no qual desta vez fez 7/4 para empatar o confronto.

 

Nadal, porém, já começava a dar sinais de que seria muito difícil vencer o belga por causa da mobilidade prejudicada pelas dores no joelho, que ficou evidente. Com o adversário em condições físicas ruins, o belga logo conquistou duas quebras de saque e abriu 4/1. O espanhol ainda devolveu uma das quebras, mas Goffin confirmou todos os seus serviços depois para liquidar a partida com um 6/4.

 

Pelo maior número de games vencidos em relação ao que Dominic Thiem ganhou na partida contra Dimitrov, Nadal ficou na terceira posição do Grupo Pete Sampras, enquanto o austríaco está na lanterna da chave.

(0) Comentário(s)

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

enviar comentário
Confira Também

caldeirão político

Morre cinegrafista da velha guarda da imprensa local

Prefeita de Sinop se afastará do cargo em março

Arthur Virgílio desiste das prévias e critica Alckmin

Toffoli entrega voto do "foro privilegiado" no próximo mês

VEJA MAIS

Vídeo comentário

Carlos Fávaro é uma confusão política ambulante

VEJA MAIS

ARTIGOS

Hospital Julio Müller

Por: ALFREDO MENEZES

Mudanças sim! Conformismo não!

Por: JUNIOR MACAGNAM

Truco

Por: EDUARDO PÓVOAS
VEJA MAIS

mais lidas

  1. Ladrões levam celulares e alianças de jogadores na Arena Pantanal
  2. Silval revela que 7 deputados fizeram extorsão por acordo na AL
  3. Concessionárias elevam preços, mesmo sem cumprir contratos
  4. Blairo Maggi anuncia nesta segunda-feira se vai ou não disputar eleições
  5. Ex-governador vira conselheiro e afirma: não compensa errar

ENQUETE

Se as eleições fossem hoje e Pedro Taques fosse candidato à reeleição, você votaria nele?
PARCIAL