25 de Fevereiro de 2018 | SOBRE ESTE BLOG
Terça-Feira, 12 de Setembro de 2017, 11h:24
Tamanho do texto A- A+

Política / "VINGANÇA POLÍTICA"

Em delação, Silval acusa Taques de pagar R$ 200 mi de precários a Malouf

Por meio de nota, o governador informou que nunca firmou nenhum acordo para quitar precatórios do empresário
SÍLVIA DEVAUX
DA REDAÇÃO

 

governo Pedro Taques (PSDB) negou a existência de algum precatório de R$ 200 milhões em trâmite no Estado de Mato Grosso em benefício de familiares de Alan Malouf como declarou o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) em sua delação premiada à Procuradoria-Geral da República.

 

Em nota, ele esclareceu que existe sim uma Ação de Execução Provisória de Sentença, no valor de R$ 44 milhões, referente a um imóvel rural vendido pelo Estado à família Malouf e que, após a venda, a terra foi retomada pela União por se tratar de uma reserva indígena.

 

 

Conforme a delação de Silval, durante a campanha de 2014 ele, enquanto governador, foi procuado pelo empresário que queria que ele emitisse um parecer favorável ao pleito que assim que eleito Taques pagaria os R$ 200 mi em precatórios.

 

Então, relatou o ex-governador, determinou que Pedro Nadaf, o secretário da Casa Civil na época, prosseguisse com os trâmites para o pagamento dos precatórios à família de Alan Malouf pelo próximo governador.

 

Além de garantir que o Estado não possui tal precatório com Malouf, Taques chamou atenção para os cuidados que se deve ter com os acordos de delação ultimamente. “Não existe instrumento pra combater corrupção mais importante que a delação. Agora, a delação não pode ser instrumento de vingança política, de chantagem, de negócio. Esse caso de precatório é uma mentira. E aí, virei bandido por causa disso”, disse durante em entrevista ao programa Chamada Geral, da Rádio Mega FM.

 

Leia a íntegra da nota abaixo:

 

Nota - Precatório

O Governo do Estado esclarece que o governador Pedro Taques nunca firmou nenhum acordo para quitar precatórios do empresário Alan Malouf. Ao contrário do que alega o ex-governador Silval Barbosa em sua delação premiada, não existe nenhum precatório em trâmite no Estado de Mato Grosso em benefício de familiares de Alan Malouf, mas sim apenas uma Ação de Execução Provisória de Sentença, no valor de R$ 44 milhões, referente a um imóvel rural vendido pelo Estado à família Malouf. Após a venda, a terra foi retomada pela União por se tratar de uma reserva indígena.

 

No entanto, a atual administração do Governo do Estado entrou com embargos de execução, por meio da Procuradoria Geral do Estado, e a 5ª Vara Especializada da Fazenda Pública suspendeu o curso da ação, em setembro de 2016.

(0) Comentário(s)

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

enviar comentário
Confira Também

caldeirão político

Morre cinegrafista da velha guarda da imprensa local

Prefeita de Sinop se afastará do cargo em março

Arthur Virgílio desiste das prévias e critica Alckmin

Toffoli entrega voto do "foro privilegiado" no próximo mês

VEJA MAIS

Vídeo comentário

Carlos Fávaro é uma confusão política ambulante

VEJA MAIS

ARTIGOS

Hospital Julio Müller

Por: ALFREDO MENEZES

Mudanças sim! Conformismo não!

Por: JUNIOR MACAGNAM

Truco

Por: EDUARDO PÓVOAS
VEJA MAIS

mais lidas

  1. Ladrões levam celulares e alianças de jogadores na Arena Pantanal
  2. Silval revela que 7 deputados fizeram extorsão por acordo na AL
  3. Concessionárias elevam preços, mesmo sem cumprir contratos
  4. Blairo Maggi anuncia nesta segunda-feira se vai ou não disputar eleições
  5. Ex-governador vira conselheiro e afirma: não compensa errar

ENQUETE

Se as eleições fossem hoje e Pedro Taques fosse candidato à reeleição, você votaria nele?
PARCIAL