23 de Novembro DE 2017 | SOBRE ESTE BLOG
Terça-Feira, 12 de Setembro de 2017, 11h:24
Tamanho do texto A- A+

Política / "VINGANÇA POLÍTICA"

Em delação, Silval acusa Taques de pagar R$ 200 mi de precários a Malouf

Por meio de nota, o governador informou que nunca firmou nenhum acordo para quitar precatórios do empresário
SÍLVIA DEVAUX
DA REDAÇÃO

 

governo Pedro Taques (PSDB) negou a existência de algum precatório de R$ 200 milhões em trâmite no Estado de Mato Grosso em benefício de familiares de Alan Malouf como declarou o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) em sua delação premiada à Procuradoria-Geral da República.

 

Em nota, ele esclareceu que existe sim uma Ação de Execução Provisória de Sentença, no valor de R$ 44 milhões, referente a um imóvel rural vendido pelo Estado à família Malouf e que, após a venda, a terra foi retomada pela União por se tratar de uma reserva indígena.

 

 

Conforme a delação de Silval, durante a campanha de 2014 ele, enquanto governador, foi procuado pelo empresário que queria que ele emitisse um parecer favorável ao pleito que assim que eleito Taques pagaria os R$ 200 mi em precatórios.

 

Então, relatou o ex-governador, determinou que Pedro Nadaf, o secretário da Casa Civil na época, prosseguisse com os trâmites para o pagamento dos precatórios à família de Alan Malouf pelo próximo governador.

 

Além de garantir que o Estado não possui tal precatório com Malouf, Taques chamou atenção para os cuidados que se deve ter com os acordos de delação ultimamente. “Não existe instrumento pra combater corrupção mais importante que a delação. Agora, a delação não pode ser instrumento de vingança política, de chantagem, de negócio. Esse caso de precatório é uma mentira. E aí, virei bandido por causa disso”, disse durante em entrevista ao programa Chamada Geral, da Rádio Mega FM.

 

Leia a íntegra da nota abaixo:

 

Nota - Precatório

O Governo do Estado esclarece que o governador Pedro Taques nunca firmou nenhum acordo para quitar precatórios do empresário Alan Malouf. Ao contrário do que alega o ex-governador Silval Barbosa em sua delação premiada, não existe nenhum precatório em trâmite no Estado de Mato Grosso em benefício de familiares de Alan Malouf, mas sim apenas uma Ação de Execução Provisória de Sentença, no valor de R$ 44 milhões, referente a um imóvel rural vendido pelo Estado à família Malouf. Após a venda, a terra foi retomada pela União por se tratar de uma reserva indígena.

 

No entanto, a atual administração do Governo do Estado entrou com embargos de execução, por meio da Procuradoria Geral do Estado, e a 5ª Vara Especializada da Fazenda Pública suspendeu o curso da ação, em setembro de 2016.

(0) Comentário(s)

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

enviar comentário
Confira Também

caldeirão político

Baiano propõe prioridade à saúde e deixe de pagar emendas

Unemat volta a fechar contrato com a Faespe

'Vakinha' para investigador não é realizada por Milena Eubank

Presidenciável Ciro Gomes participa da Convenção do PDT

VEJA MAIS

Vídeo comentário

Pedro Taques conseguiu algo espetacular para Mato Grosso

VEJA MAIS

ARTIGOS

Existe sempre uma fila

Por: RENATO NERY

Vencedores do preconceito

Por: GRACI MIRANDA

Falta pão, falta união

Por: ONOFRE RIBEIRO
VEJA MAIS

mais lidas

  1. TV francesa aponta Maggi como político bilionário com reputação controversa
  2. Aprovação a Luciano Huck dispara e atinge 60%, mostra pesquisa
  3. Ex-deputado assume interinamente a Casa Civil de Mato Grosso
  4. Juiz determina perícia em Arcanjo, que tenta o regime semiaberto
  5. Inquérito aponta que promotor receberia denúncia falsa contra Perri

ENQUETE

Se as eleições fossem hoje e Pedro Taques fosse candidato à reeleição, você votaria nele?
PARCIAL